A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 16 de Novembro de 2018
Por Maurício Sena | 07/01/2017 - 13h07
"Muitos fantasmas não vão nem aparecer, porque não existem”, prevê Herzem Gusmão

O prefeito Hérzem Gusmão concedeu entrevista á Rádio Clube, nesta sexta-feira (06), no programa Sudoeste Agora e, entre muitos temas, falou sobre os levantamentos do número de funcionários e a folha de pagamento herdada da gestão do prefeito Guilherme Menezes, deixando claro que não há convocação dado o número muito grande de servidores, aproximadamente 9 mil, que resulta em R$24 milhões em salários. Na entrevista concedida ao jornalista Caique Santos o prefeito que a administração municipal deve estar atenta a LRF, caso contrário o prefeito pode ser penalizado, condenado por improbidade administrativa e que os levantamentos feitos até o momento não pretendem escandalizar, mas ressalta que há indícios de funcionários fantasmas.

“Atenção Conquista, que é você que paga, R$24 milhões é a folha. Desses R$24 milhões da nossa folha ainda tem mais R$1,5 do vale refeições porque que não soma, porque vai passar do limite prudencial e cair na Lei de Responsabilidade Fiscal que penaliza o prefeito, torna o prefeito inelegível e ele é condenado por improbidade administrativa. Então resultado, dessa folha de R$24 milhões a nossa equipe começou a divulgar e a detectar que R$8,4 milhões são de hora extra, de gratificações e de outros mimos. Tem muitos funcionários que merecem. Até é pouco o que ele está recebendo de hora extra, é verdade. Tem funcionário que recebe as gratificações, o servidor, muitos merecem por merecimento, mas tem servidor que não vai à repartição pública e, portanto, eu diria que antes de uma auditoria que será feita, não uma auditoria para escandalizar, para perseguir quem quer que seja, para você que está me ouvindo, porque a Prefeitura não pertence a um partido político a Prefeitura pertence a todos nós. Eu serei um servidor, um empregado do povo, um gerente do povo, pago pelo povo e tenho que prestar contas”, afirmou.

“Eu vi na parede um contracheque de um servidor, mil e quatrocentos reais. Normalmente quando uma pessoa ganha R$1,4 mil nunca recebe R$1,4 mil, tem descontos de sindicato, contribuição sindical, às vezes um consignado, mas esse, não é só esse caso não, vários casos, esse o salário base dele é R$1,4, ele chega com um valor líquido de R$7,5 mil”, disse.  “Faremos um recadastramento, eu não sei se nós vamos ter a oportunidade de conhecer os fantasmas. Se os fantasmas depois…. eu gostaria muito de fazer uma foto com os fantasmas. Muitos fantasmas não vão nem aparecer, porque não existem”, adiantou.

“Não vamos convocar ninguém”

“Uma Prefeitura que tem quase nove mil funcionários, se levantarmos agora os dados populacionais me parece que são quase duzentos municípios que não tem essa população. Caíque, tem funcionários demais. Chamar concursados pra que pelo amor de Deus? A Prefeitura de Conquista tem funcionários… eu estou lhe falando que Conquista, que a cidade… você tá vendo que ela precisava arrecadar mais, como ela via emprestar funcionários pra órgãos federais, pra máquina federal, pra máquina do Estado. Nós vamos analisar que tem casos aí que a gente tem que ter a sensibilidade. A Prefeitura paga funcionários que não trabalham na Prefeitura, não trabalham para a população, mais de R$300 mil. Então está errado. Não vamos convocar ninguém. Você tem que fazer um remanejamento e mandar chamar, qualificar pessoas. Tem muita gente batendo cabeça”, concluiu.

- Deixe seu comentário -