A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 16 de Julho de 2018
Por Maurício Sena | 25/01/2017 - 02h45
"O jogador está errado na atitude dele, mas não vamos execrar o moleque, porque ele está com o sonho de ser jogador de futebol. Ainda tem o fato de ele ser negro, que já sofre discriminação normalmente, então vou dar uma oportunidade para ele, arrumar um advogado"

A Copa São Paulo de Futebol Júnior, tradicional competição nacional que já revelou grande nomes do futebol brasileiro e que ainda serve como espécie de peneira que projeta muitos juvenis ao profissional, ganhou mais um capítulo de uma prática comum, o famigerado “gato”, que desta vez custou caro para o Paulista, que acabou sendo eliminado após ser classificado para a final do torneio. O time jogaria a final contra o Corinthians, que agora terá o Batatais na disputa pela conquista do campeonato.

O caso específico envolve o jogador Heltton, que usou a identidade do primo Brendon, por ter ultrapassado a idade limite para competir os jogos. Desde então o jogador desapareceu, enquanto a notícias se espalhava pelas redes, gerando grande polêmica sobre um tema não tão raro no mundo do futebol e que já acabou com muitas carreiras.

Mas, a situação que parecia ser o fim para Heltton, ganhou uma luz de solidariedade, com a intervenção do lendário pentacampeão Vampeta, ex-jogador do Corinthias e seleção brasileira, que resolveu dar nova chance ao jovem atleta, sob um argumento forte: “não matou ninguém!”. “O jogador está errado na atitude dele, mas não vamos execrar o moleque, porque ele está com o sonho de ser jogador de futebol”, afirmou Vampeta ao UOL Esporte. “Ainda tem o fato de ele ser negro, que já sofre discriminação normalmente, então vou dar uma oportunidade para ele, arrumar um advogado”

Segundo Vampeta o jogador deve pagar por seus erros “mas não vamos prejudicar o moleque, acabar com a carreira dele”. “Vou dar a oportunidade de ele jogar lá em Osasco. Não estou defendendo que tem que ser gato, mas vamos dar o exemplo para esse moleque. Ele não roubou, não usou uma arma para matar alguém, só tem o sonho de ser jogador de futebol”.

Vampeta afirma que assim que Heltton resolver seus problemas com a Justiça e estiver apto a voltar a jogar futebol, receberá um contrato para atuar pelo Audax Osasco, que tem o ex-jogador como presidente. “Quem é de cor sabe, vão sacrificar esse menino e daqui a pouco ele não tem mais chance de jogar em nenhum lugar”, completou.

- Deixe seu comentário -