A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 15 de Dezembro de 2018
Por Maurício Sena | 25/01/2017 - 03h39
Viola: “Deixem-me dizer algo: a única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade"

Viola Davis fez história nesta terça-feira, 24. Indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pela performance dela em “Fences, a estrela, aos 51 anos, se tornou a primeira negra a conquistar três indicações na premiação. A boa notícia? Ela é uma das favoritas para levar o grande prêmio. Pelo trabalho, originalmente uma peça de teatro de August Wilson, a artista já havia vencido um Tony Award, em 2010. Agora, repetindo o papel na adaptação cinematográfica, larga na frente. Pela atuação, vale lembrar, ela levou um Globo de Ouro, recentemente.

Anteriormente indicada, em 2009, por “Dúvida”, e, em 2012, por “Histórias Cruzadas”, a intérprete de Annalise Keating, de “How To Get Away with Murder”, estava empatada com Whoopi Goldberg em número de nomeações para uma atriz negra. Goldberg foi indicada por “A Cor Púrpura”, em 1986, e “Ghost: do Outro Lado da Vida”, em 1981. Levou um Oscar pelo último.

Recordes
E, bem, a atriz já está ~acostumada~ a fazer história: em 2015, foi a primeira negra a levar o prêmio de melhor atriz dramática no Emmy Awards. “Deixem-me dizer algo: a única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade. Você não pode ganhar um Emmy por papéis que simplesmente não existem”, disse na época.

Quer uma notícia melhor ainda? Caso vença o Academy Awards, a estrela fica a um Grammy de conquistar o “EGOT” status, aquela seleta lista de pessoas ganhadoras do Emmy, Grammy, Oscar e Tony, os quatro principais prêmios da indústria do entretenimento norte-americano. You go, girl!

- Deixe seu comentário -