A informação que você precisa.
Vitória da Conquista | 21 de Janeiro de 2020
Por Maurício Sena | 31/01/2017 - 12h52
Contrito, Zé do Caixão abaixa a cabeça em oração durante culto religioso

José Mojica Maris, o Zé do Caixão, maior ícone do terro brasileiro, pode ter se tornado um homem religioso. Ao menos é o que indica um post no Facebook, feito nesta segunda-feira (30), por um pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que publicou foto do diretor e sua esposa em um culto da central paulista. “Neste domingo o Zé do Caixão, juntamente com a esposa tomou a decisão pelo batismo na IASD Central Paulistana, no apelo do Pr. Luís Gonçalves. Louvado seja Deus!”, publicou o pastor Erzon Aduviri, da Ingreja Adventista do Sétimo Dia Central Paulistana.  Abaixo, foto publicada pelo Pastor, ao lado de José Mojica, o Zé do Caixão.

 

 

Em uma das imagens, José Mojica Marins aparece com roupa social, unhas mais curtas do que quando vivia o personagem Zé do Caixão, ao lado da sua esposa, Edineide Silva, e do pastor Luís Gonçalves. Na outra, é visto com as mãos para o alto, durante o culto. A equipe do JC tentou entrar em contato com a assessoria de Mojica para confirmar a informação, mas não obteve retorno.

ZÉ DO CAIXÃO
Aos 80 anos, José Mojica Marins é um dos artistas mais conhecidos do país, graças ao personagem Zé do Caixão. Ator, diretor e roteirista, o paulista iniciou sua carreira nos anos 1950, mas foi apenas no dia 11 de outubro de 1963 que deu origem a Zé do Caixão, sádico agente funerário com ideias niilistas. Desde então, estrelou dezenas de filmes e programas para a televisão, como À Meia-Noite Levarei Sua Alma, Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver e O Estranho Mundo de Zé do Caixão.

- Deixe seu comentário -