A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 15 de Dezembro de 2018
Por Fabio Sena | 07/02/2017 - 18h13
“Vale lembrar que Otto Alencar é oriundo do grupo político que hoje é liderado pelo prefeito ACM Neto".

Vencidas as eleições municipais, eleitas as mesas diretoras das câmaras municipais e da Assembleia Legislativa, é hora de partidos e personalidades políticas voltarem os refletores para as eleições de 2018, quando serão escolhidos presidente, governadores, senadores e deputados estaduais e federais. Na Bahia, a corrida sucessória deu seus primeiros sinais na eleição de Ângelo Coronel para presidente do legislativo baiano, numa quebra-de-braço que derrotou o todo-poderoso candidato de Rui Costa e Jaques Wagner, o ex-presidente Marcelo Nilo. Na articulação, ganhou projeção o senador Otto Alencar, do PSD, que atuando discretamente emplacou seu presidente e ganhou força para ser o fiel da balança em 2018.

O deputado estadual Leur Lomanto Jr, do PMDB, abriu a temporada de articulações e já alerta para a possibilidade de uma dobradinha capaz de por abaixo o sonho de reeleição do PT com Rui Costa. Uma chapa entre o prefeito de Salvador ACM Neto com Otto Alencar na vice é o que sugere Leur Lomanto Jr, segundo quem, o clima é totalmente favorável. Líder da minoria na Assembleia, ele afirmou que Otto Alencar “é o grande vitorioso no processo da Assembleia”, e que seu nome ganha força para disputar o governo do Estado em 2018. “Vale lembrar que Otto Alencar é oriundo do grupo político que hoje é liderado pelo prefeito ACM Neto. Embora hoje esteja no governo do PT, o senador Otto Alencar veio de lá. O futuro a Deus pertence”, instigou o líder da oposição na Assembleia.

- Deixe seu comentário -