A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 16 de Novembro de 2018
Por Fabio Sena | 21/04/2017 - 00h37
Fabíola Mansur, deputada estadual

A deputada estadual Fabíola Mansur, do PSB, engajada com os movimentos sociais na luta contra o teor original da Reforma da Previdência apresentada pelo presidente Michel Temer, comemorou a alteração do texto pelo governo, especialmente no que tange à idade mínima para aposentadoria. “Graças às mobilizações no Brasil inteiro, a Reforma da Previdência teve pontos que estão sendo flexibilizados. Agora a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres não está mais equiparada, conforme o projeto do presidente. A nova proposta estabelece 62 anos para mulheres e 65 para homens. Isso já é um avanço! Houve alteração também na regra para obter o benefício integral, que passou de 49 para 40 anos de contribuição”, afirmou Fabíola.

A deputada afirmou que as vitórias obtidas até agora contra o projeto não são ideais, mas motiva à permanência na luta. “A regra de transição, ao contrário do texto original, agora propõe idade mínima progressiva para mulheres a partir de 53 anos e homens a partir de 55 anos. Sobre a aposentadoria rural, inicialmente os trabalhadores rurais e urbanos estavam equiparados, o que era um absurdo! Com a proposta do relator, a trabalhadora rural pode se aposentar com 57 anos e o trabalhador com 60. Em relação ao benefício de prestação continuada, a atual alteração mantém a vinculação com o salário mínimo, com idade mínima de 65 anos. Tudo isso é fruto das mobilizações! “A Reforma da Previdência ainda muito longe de ser a ideal, mas vamos nos manter mobilizados para que esse projeto fique justo”, afirmou a parlamentar.

- Deixe seu comentário -