A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 18 de Outubro de 2018
Por Fabio Sena | 26/04/2017 - 22h02

por Silvio Humberto

O Dia Municipal em Comemoração às Ações Afirmativas é uma iniciativa do nosso mandato e tem como marco o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), em 2012, que considerou constitucional a política de cotas étnico-raciais para seleção de estudantes nas universidades públicas federais. Por unanimidade, os ministros julgaram improcedente o questionamento ajuizado na Corte pelo Partido Democratas (DEM). O aumento do número de jovens negros e negras, indígenas, quilombolas e pobres do ensino público nas universidades é patente. Mas ainda insuficiente. Na Bahia, destaca-se o caráter pioneiro do Instituto Cultural Steve Biko, que vem há 25 anos promovendo Ações Afirmativas.

A luta continua e precisa continuar. As cotas são medidas necessárias e importantes, e, depois de efetivadas, precisam ser monitoradas e defendidas. Novas formas de ataque e invalidação destas políticas estão em curso. A exigência é de atenção a este novo momento da luta antirracista, onde os direitos são sabotados pela “afroconveniência” das falsas autodeclarações. É importante afirmar o 25 de Abril como uma conquista coletiva e histórica dos movimentos negros e antirracistas brasileiros, em prol de uma verdadeira democracia racial. Afinal, como sabiamente afirma Mãe Stella de Oxóssi “o que não se registra o vento leva”!

Sílvio Humberto é vereador em Salvador pelo PSB

- Deixe seu comentário -