A informação que você precisa.
Vitória da Conquista | 14 de Agosto de 2020
Por Fabio Sena | 26/04/2017 - 14h38
Desde o início de janeiro, o Governo Municipal já recolheu quase 18 mil toneladas de resíduos sólidos por meio dos mutirões de limpeza

Na Urbis IV, situada na região oeste de Vitória da Conquista, o canal de drenagem foi submetido a um trabalho de limpeza durante as últimas duas semanas. A equipe de limpeza capinou o mato, dentro e fora do canal, e realizou rastelagem e varrição do local. A quantidade de sujeira retirada foi suficiente para encher seis caminhões-caçamba – o que equivale a aproximadamente 36 toneladas de entulho. “Estou aqui há mais de quinze anos, e uma limpeza como essa, aqui, é a primeira vez. Estava abandonado”, observou, nesta terça-feira, 25, o aposentado Edson Soares, 65 anos, morador do bairro há uma década e meia.

Trabalho semelhante também foi feito no canal de drenagem da Vila Serrana, próximo dali. A ação envolveu a limpeza total nas áreas interna e externa do canal. “Antes, não tinha essa limpeza toda, e agora está tendo”, avaliou Sirlândio Rocha, 64, proprietário de uma lanchonete bem em frente ao canal. Segundo ele, que mora no bairro há 27 anos, o resultado já tem sido visto, pois “a água está escoando bem”.

Mais abaixo, na avenida Brumado, a limpeza do canal extraiu nada menos que 20 caminhões-caçamba cheios de entulhos e resíduos em geral. Agora, o aspecto do escoadouro está diferente, com mato capinado e sem entulho na parte interna por onde a água deve passar. “A cidade fica mais bonita, mais limpa, tudo melhora”, disse Robson Santos, 43, que trabalha com serviços gerais em madeireiras instaladas na avenida, à margem do canal.

Nos três canais já mencionados, o trabalho foi praticamente concluído. Enquanto isso, uma equipe de limpeza atua em outro canal – o que vai da avenida Brumado à Lagoa das Bateias. Ali, já foi concluído o processo de roçagem. Resta ainda a definição dos aceiros e o trabalho com os rastelos, além do recolhimento dos resíduos retirados tanto de dentro, quanto de fora do canal.

O fiscal da empresa Torre, Jaimilton Queiroz, acredita que o trabalho nesse canal deverá estar concluído até o próximo fim de semana. “Estamos fazendo o acabamento para a gente sair, terminar o resto aqui da Brumado e partir para a Luís Eduardo Magalhães”, informou Queiroz.

‘Ação continuada’ – Além dos canais da Vila Serrana, da Urbis IV, da avenida Brumado e da Lagoa das Bateias, os mutirões de limpeza promovidos pela Prefeitura podem ser vistos atualmente nas avenidas Juracy Magalhães, Olívia Flores e Yolando Fonseca, nas praças Mármore Neto e Nossa Senhora dos Verdes, e ainda em localidades como Loteamento Conquistense, Urbis V, Campinhos e Nova Cidade.

Antes disso, as equipes já haviam passado pelos bairros Nossa Senhora Aparecida e Guarani, além da saída para o município de Barra do Choça. Desde o início de janeiro, o Governo Municipal já recolheu quase 18 mil toneladas de resíduos sólidos por meio dos mutirões de limpeza. A Operação Cata-Bagulho rendeu 88,5 toneladas de objetos descartados. Quanto aos resíduos da construção civil, já foram quase 8 mil toneladas.

Os números, fornecidos pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Transportes, são atualizados até 20 de abril. “É uma ação continuada de presença da limpeza pública do governo Herzem Gusmão, para dar resposta à comunidade conquistense, que tanto ansiava por ver várias avenidas e praças limpas como estão”, afirmou o secretário responsável pela pasta, Esmeraldino Correia.

O secretário coordena uma equipe que, entre funcionários da Torre e servidores públicos municipais, envolve cerca de 90 responsáveis pela limpeza nas vias públicas das áreas leste e oeste de Vitória da Conquista. “A cidade sente a presença do serviço público de limpeza em todos os ambientes. Estamos trabalhando aqui, do lado oeste, e também do lado oeste, o outro lado da cidade. Toda ela sendo contemplada com a ação de presença da limpeza pública”, disse Correia.

‘Saúde pública’ – Segundo o secretário, há outro aspecto a se considerar, em se tratando de limpeza pública: a saúde da população. “A questão dos animais peçonhentos, do vetor transmissor da dengue, da zika, que é o aedes aegypti. Então, tudo isso, quando você limpa, você transforma a cidade em limpeza pública, você tem um ganho imenso na prevenção de saúde pública”, explicou.

- Deixe seu comentário -