A informação que você precisa.
Vitória da Conquista | 30 de Marco de 2020
Por Fabio Sena | 10/05/2017 - 00h50
“O campeonato deixou de ser da zona rural. Deixou até de ser de Conquista. Nosso campeonato foi invadido por Belo Campo, Encruzilhada, Cândido Sales e Tremedal”

O desequilíbrio entre as equipes e a força do poder econômico não podem ganhar terreno no campeonato de futebol amador da zona rural de Vitória da Conquista, defendem donos de times, coordenadores e atletas. O tema foi objeto de discussão na manhã desta terça-feira (9) na Câmara de Vereadores em audiência pública solicitada pelo vereador Osmário Lacerda, do PMDB. Primeiro a reclamar da situação, o coordenador do time de Matinha, Marcos Abade, considera um grave erro da organização do campeonato permitir que jogadores da zona urbana disputem o campeonato por times da zona rural. Segundo ele, isso afasta da disputa equipes que não tem dinheiro para custear jogadores da sede do município.

Ele apontou ainda que outros campeonatos já vetam a participação de jogadores que estão disputando competições promovidas pela Liga Conquistense de Desportos Terrestres, o que mostra que seria justo que jogadores da zona urbana não participem do campeonato da zona rural. Pensamento idêntico tem o coordenador da equipe master de Veredinha, Wilton César. César de Veredinha apontou que o campeonato teve poucos avanços nos últimos anos, principalmente porque os atletas da zona urbana ocuparam o espaço da zona rural. “O campeonato deixou de ser da zona rural. Deixou até de ser de Conquista. Nosso campeonato foi invadido por Belo Campo, Encruzilhada, Cândido Sales e Tremedal”, apontou ele, que também destacou que essa chegada de jogadores de fora encareceu a participação em campeonato. “Se tornou caríssimo, inviável”, apontou.

- Deixe seu comentário -