A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 16 de Novembro de 2018
Por Diário Conquistense | 04/06/2017 - 10h11

Contatado pelo Metro1, na manhã da última sexta-feira, o senador e presidente do PSD na Bahia, Otto Alencar, criticou a declaração do secretário de Desenvolvimento Econômico e ex-governador do estado, Jaques Wagner (PT), que disse, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que “Se for para ter eleição indireta, o Temer tem mais legitimidade do que qualquer outro porque, querendo ou não, ele estava na linha sucessória da Presidência”. Para Otto, Wagner tem tido “lapsos verbais” nos últimos tempos. “Eu discordo completamente do que ele disse. Se ele falou, não estava de boa consciência. Respaldar Temer, é respaldar um presidente que tem relações comprometedoras, espúrias, corruptas. Wagner, ultimamente, tem tido vários episódios de lapso verbal”, analisou.

Segundo Otto, se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não cassar a chapa Dilma-Temer, não estará agindo com isenção. “Se eles não cassarem, foram advogados dos erros de Dilma e de Temer. Ou se acatam as provas do Ministério Público Federal, do Rodrigo Janot, ou o exemplo vai ser que ter corrupto na política é vantagem, tudo é vantagem, as denúncias são muito graves”, ressaltou.

Com informações Metro1

- Deixe seu comentário -