A informação que você precisa.
Vitória da Conquista | 23 de Setembro de 2019
Por Fabio Sena | 30/10/2017 - 18h11
"A formação política da comunidade universitária é essencial para mudarmos essa realidade"

Durante o mês da Consciência Negra, a Adusb promoverá, nos três campi da Universidade, as rodas de conversa “Opressões e Assédio na Uesb: Não ao silenciamento!”. A atividade visa discutir e buscar formas de combater o racismo, o machismo, a LGBTfobia e o capacitismo no ambiente acadêmico. Em Itapetinga, a roda acontecerá no dia 7 de novembro, em Vitória da Conquista no dia 14 de novembro e em Jequié dia 21 de novembro. Todos os eventos acontecerão às 15h na Sede da Adusb do seu respectivo campus e serão abertos a toda a comunidade universitária.

As rodas de conversa fazem parte das atividades do Grupo de Trabalho de Política de Classe para questões Etnicorraciais, Gênero e Diversidade Sexual da Adusb (GTPCEGDS). A proposta é discutir como as opressões têm acontecido na Universidade e a partir dos relatos construir ações. Além do debate político feito pelos membros do GT, as rodas contarão com a presença de advogada(o), psicóloga(o) e/ou assistente social para o esclarecimento de dúvidas das(os) participantes.

Vivemos em uma sociedade capitalista, na qual trabalhadoras e trabalhadores são explorados cada vez mais pela burguesia. Nesse mundo de desigualdade, as opressões são utilizadas pela classe dominante para discriminar, violentar e permitir maior exploração de mulheres, LGBTs, pessoas com deficiência, indígenas, negras e negros.

As opressões são reproduzidas em todos os âmbitos da sociedade, portanto, nas Universidades não acontece de forma diferente. São inúmeros os casos de assédio sexual e moral, homofobia, entre outros, dentro dos muros da Uesb. As vítimas na maior parte das vezes não denunciam seus(suas) agressores(as) por medo de retaliação, violência, por não existir uma rede de acolhimento ou mesmo a garantia de que o caso será apurado da forma devida.

“A formação política da comunidade universitária é essencial para mudarmos essa realidade. É por isso que a Adusb, por meio do GTPCEGDS, reforça a importância da ampla participação de todas e todos nas atividades do mês de novembro”.

- Deixe seu comentário -