A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 10 de Dezembro de 2018
Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 09h27
“Não há Justiça fora da ordem constitucional”, afirmou.

Neste momento, o procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum, faz a sustentação oral destacando o posicionamento do Ministério Público Federal no julgamento da apelação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Porto Alegre, no caso do triplex no Guarujá (SP), em que o petista foi condenado por Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Antes de entrar no mérito, Gerum afirmou que lamenta a comoção de natureza política em torno do tema e que o surpreende o fato de até mesmo estudiosos da academia estarem “entorpecidos por um sebastianismo primário” e que “esta tentativa de assemelhar a um julgamento político” ofende o MPF e os julgadores do TRF4. Afirmou que há ignorância e desrespeito ao pensamento divergente. Por fim, afirmou que se a corte absolver ou condenar a Justiça estará sendo feita. “Não há Justiça fora da ordem constitucional”, afirmou.

- Deixe seu comentário -