A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 14 de Novembro de 2018
Por Fabio Sena | 22/07/2018 - 00h03
Os aventureiros passam por um longo treinamento até estarem prontos para o desafio

Do sertão ao litoral encima de uma bicicleta: eis o desafio a que se propuseram 40 ciclistas-aventureiros de Vitória da Conquista, que pedalarão mais de 350 quilômetros até alcançar a cidade de Ilhéus. Em sua terceira edição, a viagem – denominada Trilhão Iron Men – tem início no dia 17 de Agosto e põe em teste todos os limites dos atletas.

Afinal, não é tarefa fácil percorrer mais de 350 quilômetros sobre uma bicicleta, vencendo trilhas em fazendas, montanhas íngremes, diversos vilarejos, rios e mata virgem. Não faltam desafios, desde o frio da madrugada às subidas intermináveis às arriscadíssimas descidas. Ainda tem a fome e a sede que, em alguns trechos, levam aos extremos do corpo.

O grupo, composto por 40 aventureiros, partirá em direção ao litoral às 22 horas do dia 17 e fará uma primeira parada para hidratação e nutrição em Iguaí, município localizado a 130 quilômetros de Vitória da Conquista. Segue viagem e uma nova parada somente em Coaraci, situada no extremo-sul. Aí completam-se 250 quilômetros de pedal e cumpre-se o primeiro dia. No dia 18, os ciclistas ainda passam pelas cidades de Itajuípe, Uruçuca e Serra Grande, antes de alcançar o destino.

O articulador desta aventura é o educador físico Erivelton Ramos, ciclista há 20 anos, período durante o qual já realizou viagens de bicicleta a Porto Seguro, Rio de Contas e Ilhéus (via asfalto). Em 2016, ele fez o Caminho de Santiago de Compostela, partindo de Lisboa. “Foi fantástico”, lembra Erivelton. “Ao retornar dessa viagem sugeri a um colega que fizéssemos uma trilha de longa distância Então criamos o percurso, fizemos um cronograma e outros colegas se interessaram”, conta.

E foi assim que, em 12 de agosto de 2016, um grupo formado por dezesseis ciclistas fizeram a viagem a Ilhéus por trilhas. “Feito inédito até aquele momento”, lembra. No segundo ano, muitos outros ciclistas se interessaram, mas foi necessário conter o número de participantes, criando-se assim uma lista de prioridades. Os que foram no primeiro tiveram vaga garantida e pôde indicar outra pessoa para uma lista de reservas para 20 pessoas.

Em 2018, serão 40 aventureiros. E o critério continua: quem vai dois anos indicará um nome pra o próximo ano, vira um padrinho e se responsabiliza por ele. “A lista começou em março e fechamos em maio”. Mas para participar da viagem os aventureiros precisam comparecer aos treinamentos e cumprir metas, duas das quais é percorrer 800 km por mês e 7000 metros de altimetria. “É possível conquistar os objetivos desde que se dediquem”, afirma Erivelton.

- Deixe seu comentário -