A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 14 de Novembro de 2018
Por Fabio Sena | 22/07/2018 - 00h03
Pietro Banddini é o organizador de um dos maiores eventos do ciclismo do Brasil.

Em menos de dez horas eram 1300 inscritos e mais nenhuma vaga. Os retardatários sentiram a frustração de não poder concorrer em uma das mais badaladas disputas de Mountain Bike do Brasil, o Suba100. Em sua terceira edição e realizada no município de Santa Terezinha – distante 200km de Salvador – a prova está entre as cinco mais importantes do país.

O Suba100 será realizado nos dias 26, 27 e 28 de abril de 2019 em um cenário encantador, os Inselbergs, formações rochosas encontradas na região de Santa Teresinha. As famosas ilhas terrestres dão tem um toque especial a este desafio. Os atletas percorrerão 100 milhas de distância, passando por trilhas e cidades históricas e encantadoras, tendo como ápice de sua conquista a subida da Serra da Jiboia, reserva natural de Mata Atlântica, com uma altimetria deslumbrante e single tracks fascinantes, tornando este desafio um momento único.

Pietro Banddini Magalhães, ex-ciclista e organizador do Suba100, conversou com a reportagem do Siga.News sobre as razões do sucesso da prova. Membro da Federação Baiana de Ciclismo, entusiasta do pedal, ele afirmou que, apesar de não pontuar para o ranking da confederação ou da federação, o Suba100 .se projeta por ser uma prova-conceito. “O principal astro da prova é o atleta”.

Abaixo, a íntegra da entrevista com Pietro Banddini Magalhães.

Siga.News: O que é o Suba100?

Pietro Banddini: O Suba100 é uma prova de Mountain Bike que a gente classifica como uma Challenge, um desafio. Trouxemos um formato de prova-conceito, uma prova que não vale para ranking de nenhuma confederação, federação, mas é uma prova que foi feita para o atleta se tornar um Challenge, ou seja, o principal astro da prova é o atleta. Um evento de dois dias em que o atleta percorre 100 milhas, 160 quilômetros.

Siga.News: Onde será realizado e o que que essa prova tem de especial?

Pietro Banddini: Nossas inscrições encerraram em 12 horas, foram 1.300 atletas inscritos. É realizada na cidade de Santa Terezinha, que dista aqui de Conquista 350 km, é uma região especial da Bahia, do Brasil, que tem uma formação rochosa, uma trilha única, é uma trilha rochosa chamada de inselberg, é um conjunto arquitetônico de rochas que só existe naquela localidade. Isso torna o local muito especial, é uma cidade muito acolhedora, uma cidade completamente propícia para o esporte de aventura e a prova é realizada lá. Santa Terezinha é a capital baiana do voo livre. O que atrai o atleta para lá é o carinho e a atenção que nós temos. O evento em si se tornou um grande festival, uma grande festa, onde o atleta larga com a camisa do evento, o atleta percorre um cenário maravilhoso e toda uma estrutura que é montada para ele.

Siga.News: Cada vez mais pessoas aderem à cultura do ciclismo. Para você, o que significa pedalar para o bem estar da pessoa? E como está a questão do ciclismo na Bahia, tem havido um crescimento?

Pietro Banddini: A Bahia hoje provavelmente deve ser o terceiro estado do Brasil com o maior número de atletas de mountain bike na federação. Acho que é Minas Gerais, São Paulo e depois é a Bahia. A bicicleta para o baiano hoje é uma paixão, como o futebol. É impressionante: cada município que você vai, você tem um mar de ciclistas, de grupos de bicicleta. Para se ter uma ideia, tem passeios de cicloturismo que dão 3 mil, 4 mil ciclistas na Bahia. De cicloturismo, não estamos nem falando de competição. Mountain Bike, na Bahia hoje, é uma paixão para o baiano, e a Bahia começa a despontar com grandes atletas, hoje, no cenário nacional. Nós temos grandes atletas competindo de mesmo nível de atletas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, sul do Brasil. Virou uma paixão a Bahia.

Siga.News: O Suba100 é um evento consolidado. Os organizadores podem pensar eventos equivalentes para outros locais da Bahia, como Vitória da Conquista, por exemplo?

Pietro Banddini: Vitória da Conquista tem tudo para fazer uma grande prova de Suba100. A cidade já tem um grande evento que é o Calangos, e a cidade tem tudo para traçar um Suba100 da vida. Por que não? A cidade é de região montanhosa, com bastante ladeira, o propósito do Suba100 é subir, são ladeiras, é o mountain bike na essência, que é ladeira, subir. E Conquista tem altimetria para fazer uma prova desse porte e um público também maravilhoso para isso.

Siga.News: Você já disputou muito, já concorreu nessas disputas afora?

Pietro Banddini: Eu participei de grandes provas, mas eu nunca me destaquei, fui apenas como um amador, como um apaixonado. Nunca obtive nenhum resultado significativo, pelo contrário, eu chegava sempre entre os últimos, mas chegava sempre feliz.

Siga.News: Transformou esse amor em organização de evento.

Pietro Banddini: É, a gente conseguiu. Quando eu fui para a Federação Baiana de Ciclismo, a gente começou a organizar eventos e a gente pensou em porque não fazer um grande evento, como os grandes eventos do Brasil. Suba100, hoje, está entre os cinco maiores eventos do Brasil de Mountain Bike. A gente está entre orçamento, tanto em números de atletas, quanto na estrutura que é organizada.

Siga.News: Que tipo de apoio você conta para realizar um evento deste porte?

Pietro Banddini: Nosso grande apoio é o governo da Bahia. Ele é o patrocinador master, através da Setre e da Sudesb e a grande pessoa que nos apoia é o Elias Dourado. Aqui da cidade de Vitória da Conquista, que hoje é o nosso grande aliado da Sudesb, superintendente da Sudeste e ele tem apoiado demais o ciclismo na Bahia, vários eventos, várias provas, isso deu incremento muito importante para o esporte e ele é daqui de Vitória da Conquista. E temos também o apoio de empresas, de marcas de bicicleta, mas o grande apoio ainda é governamental. E a cidade de Santa Terezinha, a prefeitura também nos abraça muito, tanto a população, quanto o prefeito, a prefeitura em si, todas as secretarias.

- Deixe seu comentário -