A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 17 de Julho de 2018
Por Diário Conquistense | 24/12/2017 - 16h50

Seu Avelino foi o primeiro a saber que entre seus oito filhos um seria jornalista. Aos sete anos, Fábio dizia a seu pai o que queria ser quando crescesse: repórter.

Fábio Sena nasceu em Vitória da Conquista. Foi Secretário de Comunicação da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, Assessor de Comunicação da Câmara de Vereadores e Assessor de Imprensa do Sindicato dos Bancários. Como repórter do Jornal da Semana, integrou a equipe coordenada pelo jornalista Flávio Scaldaferri, a quem dedica os melhores momentos de aprendizado, bem como ao jornalista Giorlando Lima, de quem foi repórter no Diário do Sudoeste. Colaborou, também, com várias publicações locais, a exemplo das revistas Conexão, Conquista News e Jornal A Semana. Foi editor da Revista ArqDecor, publicação voltada para profissionais de decoração, engenharia e arquitetura. Em 2003 e 2004, auxiliou a Bancada de Situação e a Liderança do Governo prestando assessoria política. Nas eleições de 2004, deu suporte aos vereadores da Bancada de Situação com textos para impressos e rádio.

fabioPOR ELE MESMO:

Comunicação e Política: Esta é a área do jornalismo a que pertenço.

Curiosidade: Há muitos curiosos que não seriam bons repórteres. Mas para ser um bom repórter é preciso muita curiosidade.

Crítica: Quem fala o que quer ouve o que não quer! Faço a crítica e também sei recebê-la; é muito bom receber umas críticas (risos)

Música: Agora mesmo eu vinha dirigindo e ouvia João Mineiro & Marciano e minutos antes ouvia Rita, de Chico Buarque, interpretada por Emilio Santiago. Mas o jazz é minha paixão. Quando morrer não quero choro nem vela, só Ella Fitzgerald e Led Zepellin. Como vocês podem ver, acho que tem letra e música de qualidade em todo gênero.

Humor: Sou capricorniano; é melhor perder um amigo do que perder uma piada. O humor apimenta ou ameniza uma crítica, é uma combinação in-perfeita.

Literatura: O mais difícil é entender a ironia, mas depois que a gente entende o mais difícil é não aplicá-la!