A informação que você precisa.
Vitória da Conquista | 23 de Outubro de 2019
Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 13h54
Domingos Leonelli, ex-deputado federal

por Domingos Leonelli

Acho que sou o único brasileiro que acredita na absolvição de Lula. Talvez porque não tenha nem preconceitos nem ilusões em relação à Justiça. Entendo que uma condenação confirmando a equivocada decisão do juiz Sergio Moro tomada sem provas documentais, aliada às outras besteiras como o o ridículo powerpoint do MPF, a condução coercitiva, o vazamento do telefonema idiota de Dilma para Lula e, também, a utilização do princípio de que todos são iguais perante a lei, para considerar Lula um meliante qualquer, destruíram parte do bom trabalho que a Lava Jato vinha fazendo. Foram tão equivocadas e persecutórias que recompuseram a unidade do PT em torno de Lula e repuseram sua candidatura. impensável há dois anos atrás.

Lula é responsável, sim, pelos imensos erros e desvios que os governos do PT, PCdoB, PSB, PDT, PMDB, PP, PR e outros cometeram nos planos políticos, administrativos, éticos e morais. Erros e desvios que fizeram um enorme mal à esquerda deste Pais vinculando-a à corrupção e patrimonialismo. E essas responsabilidades são muito maiores que uma quase propriedade de um apartamento cafona no Guarujá e um sítio pra tomar cachaça em Atibaia. Mas para condenar o presidente cujos governos mais fizeram pelos pobres na história do Brasil,não bastam os truques de “Eliott Ness” contra Al Capone preso por sonegação do imposto de renda. Esses erros e equívocos absolveram Lula e reconstituíram sua liderança, hoje incontrastável como candidato ou não. É por isso que penso que os membros do TRF 4 podem absolvê-lo . Por razões jurídicas e políticas. O juízes devem saber que a essa altura só quem pode julgar Lula é o povo, nas urnas.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 13h47
Fabrício Falcão, deputado esdtadual

A fábrica Suzana Santos RM Calçados completou, no último dia 16 de janeiro, 23 anos de existência. Para celebrar a passagem da data, o deputado Fabrício Falcão (PC do B) apresentou uma moção de congratulações na Assembleia Legislativa, destacando a trajetória da empresa. No documento, o comunista informa que, atualmente, existem um centro de distribuição de empresas espalhadas pela Bahia nas cidades de Itarantim, Potiraguá, Maiquinique, Itapetinga, Iguaí e em Macarani, desenvolvendo as localidades e dando oportunidades de emprego. Ainda na década de 90, precisamente em 1995, foi inaugurada a empresa Suzana Santos, que deu início em um galpão alugado da Usati, em São João Batista (SC). Na época possuía 23 funcionários e produziam 300 pares por dia. Já no ano de 1997, o número de produção ficou maior, passando a produzir 2.000 pares/dia.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 13h32
"A instalação dessas companhias visa tornar mais eficaz o trabalho da Polícia Militar na região"

Em meio a elevação dos índices de violência na região do Baixo Sul, inclusive sequestros – nas últimas horas o fundador das lojas Guaibim e ex-prefeito da cidade de Valença, Ramiro Campelo, foi vítima de bandidos – o deputado estadual Hildécio Meireles (MDB) reforçou ao Governo do Estado o pedido de instalação de Companhias Independentes da Polícia Militar nas cidades de Camamu e Ituberá. Segundo ele, antevendo esse cenário desde de 2015, conforme a indicação de número 21.354/15 (Ituberá) e ainda a 22.070/17 (Camamu), vem lutando contra a insegurança na região. “As crescentes ocorrências policiais demonstram o risco que corre todo cidadão destas regiões. Cabe, desta forma, aos gestores e a toda a classe política buscar soluções que ao menos minimizem os problemas vividos pela coletividade ou venham a diminuir as suas consequências. E a instalação dessas companhias visa tornar mais eficaz o trabalho da Polícia Militar na região, para uma melhor organização tática e aumento do efetivo policial”, justificou. Ele destacou ainda que, além da elevação dos assaltos e assassinatos, outros dois sequestros foram registrados, o de um cigano e de uma proprietária de rede de farmácias. Meireles diz que a região do Baixo Sul reúne uma população de mais de 400 mil habitantes em 14 municípios que contam apenas com duas Companhias, sendo que a de Gandu atende a diversos municípios de outros territórios de identidade. “Sem falar que, entre Camamu e Gandu existem municípios de grande contingente populacional, que estão desguarnecidos de policiamento, o que deixa a população a contar com a sorte”.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 13h24
Manifestantes estão concentrados na Praça Vitor Brito

Pedro Alexandre Massinha | Agito Geral

Por toda parte do Brasil os defensores de Lula prestam-lhe solidariedade. A Polícia Federal e os órgãos de segurança estão acompanhando a movimentação para que a ordem e a tranquilidade da população sejam mantidas. Em muitas cidades do Brasil, inclusive e principalmente em Porto Alegre, a PM destinou espaços distintos para os contrários se manifestarem. Os defensores da punição ao ex-presidente também estão indo às ruas manifestar o seu apoio ao juiz Sérgio Moro. Aqui em Conquista vários segmentos de esquerda, aliados ao Partido dos Trabalhadores, escolheram a Praça Vítor Brito para manter vigília desde a noite de ontem. Hoje pela manhã o grupo liderado pelo Levante Popular, MST e CUT percorreram as ruas da cidade, conforme fotos enviadas pelo advogado Alexandre Xandó, um dos artífices do ato.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 13h17
O evento, que faz parte da campanha Janeiro Roxo, que é tido como o mês de conscientização e combate à Hanseníase, segue até o dia 31 de janeiro.

Começa nesta quarta (24), em Vitória da Conquista, a “Semana Municipal de Combate à Hanseníase”. Promovida pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, Diretoria de Vigilância em Saúde e do Centro Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária, a Semana tem como objetivo reforçar os cuidados que são necessários para o tratamento da doença, além de alertar e incentivar a procura pelos serviços de saúde. A Hanseníase é uma doença infectocontagiosa, causada pelo bacilo de Hansen e se apresenta por manifestações de pele (como manchas dormentes) e por manifestações nervosas (como dores, choques e formigamentos nos trajetos de nervos periféricos). Apesar de ser uma doença que tem cura, ela pode deixar sequelas a depender da demora pela busca por um tratamento. Dentro da programação da Semana estão ações de capacitação para profissionais de saúde, atividades educativas e a divulgação do tratamento que é oferecido pelo Sistema Único de Saúde. O evento, que faz parte da campanha Janeiro Roxo, que é tido como o mês de conscientização e combate à Hanseníase, segue até o dia 31 de janeiro.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 12h40
Gebran Neto começou a votar por volta das 10h30. No início de sua fala, o desembargador negou a suspeição do juiz federal Sérgio Moro.

O desembargador João Pedro Gebran Neto derrubou todos as teses da defesa do ex-presidente Lula durante julgamento do petista nesta quarta-feira, 24. As observações contundentes do relator da Lava Jato na Corte federal indicam sua determinação em manter a condenação do ex-presidente no caso triplex. Gebran ainda não concluiu seu voto. Depois dele, vão votar outros dois desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus. “A atuação de Luiz Inácio Lula da Silva decorreu do amplo apoio que deu para o funcionamento deste sistema ilícito na captação de recursos com a interferência direta na nomeação de dirigentes da estatal, os quais deveriam obter recursos em favor dos partidos aliados e mais especificamente do partido dos trabalhadores. Há cristalina comprovação da capacidade de influência do ex-presidente no processo de nomeação dos agentes políticos na Petrobrás e sua ciência no esquema criminoso. Apesar de sua negativa com relação a isso, há clara delineação dos bastidores de indicação e os movimentos de agremiações partidárias na tarefa de manter pessoas de confiança que pudesse levar a diante o projeto de financiamento político. O tema foi muito bem abordado na sentença”, afirmou. “Há prova acima do razoável de que o ex-presidente foi um dos articuladores, se não o principal do amplo esquema de corrupção. As provas aqui colhidas levam à conclusão de que, no mínimo, tinha ciência e dava suporte àquilo que ocorria no seio da Petrobrás, destacadamente destinação de boa parte da propina para o Partido dos Trabalhadores para o financiamento de campanhas políticas. Episódios como a nomeação de Paulo Roberto Costa e a outro episódio que talvez eu mencione, Nestor Cerveró e Jorge Zelada, entre outros, não deixam margem às dúvidas da intensa ação dolosa no esquema de propinas.” A sentença de 9 anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, imposta pelo juiz federal Sérgio Moro ao petista, está sendo julgada pelo magistrado e também pelos desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus, do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4). Esta é a 24.ª apelação julgada pela Corte federal contra sentenças oriundas da Operação Lava Jato. A condenação de Lula chegou ao Tribunal em 23 de agosto do ano passado. Gebran Neto começou a votar por volta das 10h30. No início de sua fala, o desembargador negou a suspeição do juiz federal Sérgio Moro. “A defesa pede a suspeição (do juiz Sérgio Moro), tendo em vista histórico de suas decisões ao longo dos processos. Isso não torna o magistrado suspeito, que agiu de acordo com sua compreensão dos fatos. Isso não o torna suspeito”, afirmou.

Estadão

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 12h35
“Faremos as adaptações necessárias para que mais uma vez este seja um Natal iluminado”, assegurou Tina Rocha.

Secom|PMVC

“Este foi um dos melhores formatos que eu já vi no Natal de Vitória da Conquista”, afirmou o cantor Paulo Macedo, referindo-se a valorização dos artistas locais na primeira edição do Natal Conquista de Luz. Ele fez a afirmação em reunião dos artistas locais com a Secretaria de Cultura na noite desta segunda-feira, 22, na Praça CEUs J. Murilo. Com participações em festivais de música por todo país, Paulo destacou ainda a qualidade da curadoria do evento, que escolheu 50 artistas locais. Eles se apresentaram nas praças Tancredo Neves, Mármore Neto e Nove de Novembro, ao longo dos cinco dias de festa. “A maioria dos artistas de Conquista foi contemplada e a existência de uma curadoria não foi diferente de um formato com edital”.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 12h22
Gilberto Santos, radialista, o Velho Zuza do rádio conquistense

por Thaty Miranda | Jornalista
Exclusivo para o Diário

“Como é que tá aí? De você faz tempo que eu não ouço nada. Fala um pouco, sua voz tá tão calada. Sei que agora deve estar impressionando os anjos com sua risada”. Poxa, amigo… dois anos sem a sua voz, o seu sorriso, a sua irreverência, a sua pirraça e a sua amizade. Nas poucas divergências, quando os pontos de vista eram diferentes em relação ao programa, naqueles telefonemas que me acordavam e eu, ainda desorientada de sono, era chamada de amarela, nos intermináveis áudios do whatsapp, em que falávamos de mil coisas ou naqueles momentos em que queríamos a companhia um do outro, sem nenhum motivo “especial”, havia muito amor.

O amor dos laços fraternos que se tornaram ainda mais estreitos quando passamos a trabalhar juntos. E era tão bom, que nem parecia trabalho. Era a mágica de fazer o que se gosta com quem se gosta. Você partiu, mas todos os momentos lindos ficaram. E são eles que o mantém vivo para os amigos, familiares e ouvintes, seus eternos fãs. Apesar da saudade enorme e da lacuna gigantesca que ficou nos nossos corações e no rádio conquistense, agradeço a Deus pela felicidade de ter convivido contigo, uma das pessoas mais generosas que conheci.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 11h41
“O que espero é que o julgamento dele reforce cada vez mais a independência do Poder Judiciário"

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil Claudio Lamachia afirma que a ‘independência do Judiciário tem que ser fator predominante’ no julgamento do ex-presidente Lula e pede para que a decisão do Tribunal da Lava Jato seja respeitada, ‘seja ela qual for’. Ele ainda defende a celeridade no processo, na contramão das reclamações de aliados do petista contra a velocidade do TRF-4. Inconformado com a pena de 9 anos e 6 meses de prisão imposta pelo juiz federal Sérgio Moro, o ex-presidente recorreu ao Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, a Corte de apelação da Lava Jato. Ele nega ser dono do imóvel do Guarujá, que é visto pelo magistrado, em sentença de julho de 2017, como propina de R$ 2,2 milhões da empreiteira OAS. Advogados de Lula e aliados políticos têm criticado a celeridade do TRF-4, que marcou o julgamento de sua apelação para esta quarta-feira, 24. “É fundamental para o próprio direito do réu que o processo tenha celeridade. Isso conspira a favor dele. Os interesses do réu. Seja ele ou qualquer outro réu. Se alguém está se defendendo em juízo e essa pessoa se considera inocente, quanto antes puder provar a sua inocência, melhor será”, afirma Lamachia. Para o presidente da OAB, apesar de ‘manifestações dos dois lados’ e pressão da opinião pública, ‘a independência do judiciário tem de ser o fator predominante em uma decisão como esta ou em qualquer outro julgamento’. “O que espero é que o julgamento dele reforce cada vez mais a independência do Poder Judiciário, que não se pode tratar Justiça como de esquerda ou de direita. Justiça é nos termos da lei. E, a gente tem, a partir de uma decisão, seja ela qual for, de respeitar o entendimento manifestado em juízo, seja ele qual for, sob pena de estarmos conspirando contra o próprio estado democrático de direito. Misturar política com justiça é algo extremamente equivocado”, conclui.

Estadão

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 10h33
“Qual o pensamento: censura à defesa, à academia e ao povo”, afirmou Zanin

O advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou em seu pronunciamento que o tríplex não pertence ao seu cliente e que “reportagem do jornal O Globo não gera transmite propriedade” e que a sentença se deu apenas com base nas palavras de Leo Pinheiro, “que é réu e não tem o dever de dizer a verdade”. Segundo ele, o juiz Sérgio Moro não diligenciou para alcançar a verdade. “O que se tem aqui é um processo nulo, que gerou uma sentença nula”. Ainda segundo Zanin, “claramente” o pronunciamento do procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum, mostrou como a força-tarefa da Lava Jato vem atuando. “Qual o pensamento: censura à defesa, à academia e ao povo”. E acrescentou: “Se vossa excelência ficou impressionado com a manifestação da comunidade jurídica nacional e internacional é porque algo errado existe neste e em outros processos”.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 09h56
“A Petrobrás espera que confirme que o resultado do crime se reverta em seu favor”.

O assistente de acusação da Petrobrás, René Dotti, concluiu neste momento sua exposição no TRF4 no julgamento do recurso do ex-presidente Lula contra a sentença de condenação proferida pelo juiz federal Sérgio Moro, de nove anos e seis meses para o réu. Segundo Dotti, o procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum, fez uma “exposição lúcida, clara e convincente” e afirmou que “o caso tem provas diretas e provas indiretas, indícios que valem para a condenação”. Acrescentou que são “duas ilhas de um grande arquipélago de ilicitudes, uma cadeia de provas irresistível á mais simples das lógicas”. Ainda na visão de Dotti a Petrobrás – “símbolo da independência econômica do país” – sofreu um “gravíssimo” atentado contra seu patrimônio. “Não há dúvida: a Petrobrás foi vítima de refinada e sofisticada organização criminosa e não poderia sozinha resistir a uma complexa organização, com audácia na iniciativa e eficiência no sigilo”. Segundo ele, depois que a “rede delituosa” foi descoberta, a empresa investiu em controles internos e ajudou nas investigações. “Respondeu mais de 500 pedidos de informação”. Concluiu afirmando que “a Petrobrás espera que confirme que o resultado do crime se reverta em seu favor”.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 09h41
“Para o PT só existe plano A. Lula será candidato em 2018. A palavra de ordem, oficial do partido é que a opção é Lula”.

Bocão News

O deputado Joseildo Ramos, líder do PT na Assembleia Legislativa da Bahia, afirmou que as mobilizações organizadas pelo partido em torno do julgamento do ex-presidente Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), nesta quarta-feira (24), em Porto Alegre, não têm a intenção de confrontar a Justiça brasileira, como foi argumentado por oposicionistas. Mas em entrevista nesta terça-feira (23) ao programa Se Liga Bocão, na Itapoan FM, o petista Joseildo criticou a postura de agentes da Justiça que, segundo ele, extrapolam suas atuações no estado democrático. “Não sei por onde a gente possa, efetivamente, intimidar qualquer julgador nesse processo. Mesmo porque quem está intimidada é a população brasileira a partir dessa movimentação do judiciário, que usurpa o seu campo de atuação no estado democrático de direito. Nesse julgamento de Lula, na minha opinião, quem está no banco dos réus é o poder judiciário”. Joseildo ainda insistiu que, independente da sentença do julgamento, Lula será mantido como única aposta da sigla para as eleições presidenciais este ano. “Para o PT só existe plano A. Lula será candidato em 2018. A palavra de ordem, oficial do partido é que a opção é Lula”.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 09h27
“Não há Justiça fora da ordem constitucional”, afirmou.

Neste momento, o procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum, faz a sustentação oral destacando o posicionamento do Ministério Público Federal no julgamento da apelação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Porto Alegre, no caso do triplex no Guarujá (SP), em que o petista foi condenado por Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Antes de entrar no mérito, Gerum afirmou que lamenta a comoção de natureza política em torno do tema e que o surpreende o fato de até mesmo estudiosos da academia estarem “entorpecidos por um sebastianismo primário” e que “esta tentativa de assemelhar a um julgamento político” ofende o MPF e os julgadores do TRF4. Afirmou que há ignorância e desrespeito ao pensamento divergente. Por fim, afirmou que se a corte absolver ou condenar a Justiça estará sendo feita. “Não há Justiça fora da ordem constitucional”, afirmou.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 17h02
Julgamento começou faz 20 minutos

O julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre, está sendo realizado na manhã desta quarta-feira (24). Na corte, três desembargadores analisam o pedido da defesa de Lula contra sentença do juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que condenou o petista a nove anos e seis meses de prisão, no âmbito da Operação Lava-Jato.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 08h53
O presidente da indústria têxtil Coteminas disse que confia no “sistema de autocontrole” do Judiciário

Considerado no PT o “vice ideal” em uma eventual chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o empresário Josué Christiano Gomes da Silva, de 54 anos, disse que não “persegue” nenhuma candidatura, mas defendeu o que classifica como “um legado econômico e social” das gestões do petista – nas quais seu pai, José Alencar, que morreu em 2011, era vice-presidente. Em entrevista ao Estado, o presidente da indústria têxtil Coteminas disse que confia no “sistema de autocontrole” do Judiciário ao falar sobre decisão da 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que poderá resultar na inelegibilidade de Lula. “Com a lei, pela lei e dentro da lei; porque fora da lei não há salvação”, afirmou, citando uma frase de Rui Barbosa. Josué, que foi candidato ao Senado por Minas em 2014, admitiu estar afastado do MDB. Leia a entrevista completa no Estadão.

Estadão

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 08h42
Lula voltou a criticar as atitudes da imprensa brasileira

Em ato político no centro de Porto Alegre na noite desta terça-feira (23), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou a milhares de pessoas que chagaram em várias caravanas para realizar a vigília durante o julgamento do recurso contra a decisão do juiz Sérgio Moro, que condenou Lula a mais de 9 anos de prisão. “Eu não vim falar do meu processo na Justiça, porque eu tenho advogados competentes que já provaram minha inocência. Porque acredito que aqueles que vão votar têm que se ater aos autos do processo. E porque eu tenho vocês. Com vocês eu convivo há mais de 40 anos e vocês sabem da minha inocência”, iniciou o ex-presidente.

Por Fabio Sena | 24/01/2018 - 08h25
Fernando Gabeira lamenta ausência de autocrítica

Na edição desta quarta-feira, 24, o Estadão se dedica a avaliar o impacto político e eleitoral do julgamento em 2ª instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os três desembargadores do TRF-4 terão a missão de avaliar a condenação de Lula na 1ª instância, em sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro. Caso se mantenha a condenação, o petista poderá se tornar inelegível em outubro, por causa dos efeitos da Lei da Ficha Limpa. Foram colhidas opiniões de atores diferentes, pertencentes tanto à classe política ou fora dela. Você vai ouvir, por exemplo, Fernando Gabeira, que lamenta o fato da esquerda não ter escolhido o caminho da autocrítica para simplesmente lutar desesperadamente pela sobrevivência de seu líder máximo. “A tática da defesa do Lula e toda essa opção da esquerda nos colocou diante de um descaminho histórico. Porque ao invés de reconhecer todos os escândalos que aconteceram e buscar um caminho mais longo de recuperação através de uma crítica, de uma autocrítica, ela decidiu negar o conjunto dos fatos”, declara. Ouça no player acima.

Ainda vão passar por esta edição alguns representantes da composição partidária brasileira. Do PT, o deputado Carlos Zaratini (SP) confirma que a luta seguirá obstinada em manter a candidatura de Lula à presidência, mesmo com possíveis frustrações no processo legal. “Nós vamos manter a disputa porque a coisa não se encerra neste julgamento”. Do líder do PSDB na Câmara, deputado Nilson Leitão (MT), uma certa relativização do lastro político deste caso para valorizar apenas o posicionamento dos membros da Justiça envolvidos. “O resultado é o menos importante na questão política. O importante é juridicamente”. Já para Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), relator da Reforma da Previdência, a condenação e possível inelegibilidade de Lula “fará com que o PT deixe de existir”.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 18h45
Nos 100 recursos já apreciados pela turma, os desembargadores federais reverteram a condenação e inocentaram os réus em apenas seis casos

Embora a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, tenha dito que as duas absolvições do ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região dão esperança de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja inocentado nesta quarta-feira (24/1) e possa concorrer mais uma vez à Presidência, o histórico dos julgamentos da seção de apelações de sentenças da operação “lava jato” em Curitiba não é animador para os petistas. Nos 100 recursos já apreciados pela turma, os desembargadores federais reverteram a condenação e inocentaram os réus em apenas seis casos, o equivalente a 6% do total. Segundo pesquisa do Datafolha divulgada em dezembro, Lula lidera as intenções de voto para presidente e venceria qualquer oponente no segundo turno. Porém, ele se tornará inelegível se o TRF-4 confirmar a sentença do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba — que o condenou a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP) —, salvo se algum tribunal superior alterar o acórdão.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 14h53
As ações em apoio a Lula ficarão concentradas no Anfiteatro Pôr-do-Sol, a poucas quadras do TRF-4, e na “esquina democrática”,

Estadão

O acesso ao entorno do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) ficará restrito a partir das 12h desta terça-feira, 23, véspera do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá. A restrição no perímetro será por via “aérea, terrestre e naval”, segundo o secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer. Os esclarecimentos em relação ao esquema de segurança, que envolve dezenas de órgãos municipais, estaduais e federais, foram prestados à imprensa na manhã desta segunda, 22. Schirmer, no entanto, evitou qualquer detalhamento em relação aos custos e ao tamanho do efetivo envolvido na operação, dizendo apenas que as forças de segurança integradas terão o “efetivo necessário” para garantir a manifestação “dentro dos princípios constitucionais”.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 14h38
Os resultados serão divulgados no dia 16 de fevereiro

A Prefeitura Municipal abriu inscrições para o Conservatório Municipal de Música, que poderão ser feitas on-line, através deste link disponível no site da Prefeitura e encerrarão no dia 31 de janeiro. O Conservatório Municipal oferece os cursos de violão clássico, violão popular, piano, flauta transversal, flauta doce, teclado e saxofone. As audições serão realizadas entre os dias 5 e 9 de fevereiro, e os resultados serão divulgados no dia 16 do mesmo mês. As aulas terão início no dia 26 de fevereiro, no Centro Glauber Rocha, na Avenida Brumado, bairro Brasil.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 14h26
Rosa Maria, que já está presa desde dezembro em razão de pedido de prisão temporária formulado pelo MP, foi denunciada pelo homicídio

Acusada de envenenar quatro pessoas da mesma família com “chumbinho” no município de Saúde, Rosa Maria Dantas Melo teve a sua prisão preventiva decretada pela Justiça ontem, dia 18. O juiz substituto da Vara Criminal da comarca atendeu o pedido apresentado pelo Ministério Público estadual, que também denunciou Rosa Maria pela prática de homicídio e tentativa de homicídio. Segundo a promotora de Justiça Milena Moreschi, a denunciada ofereceu doce de leite envenenado com carbofurano, mais conhecido como “chumbinho”, a quatro pessoas convidadas para irem até a sua residência. O envenenamento causou a morte de uma das vítimas e as demais sobreviveram por terem ingerido uma quantidade menor do produto, explica a promotora.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 14h05
Flávio Dino contestou os que desejam fazer julgamento político do ex-presidente Lula.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) voltou a criticar a sentença do juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Lula. Para ele a decisão é frágil e não deverá ser confirmada pelos tribunais superiores (STJ e STF). Dino acha que uma confirmação da sentença pelo TRF4 só serviria para tentar gerar inelegibilidade de Lula. O governador maranhense, que foi juiz federal por mais de 10 anos, afirmou, em sua página no Facebook que é ínfima a chance do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), instâncias máximas da justiça brasileira, confirmarem a sentença do juiz Sergio Moro que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão no caso do tríplex pertencente à construtora OAS. Ainda segundo Flávio Dino, a imensa maioria dos juristas brasileiro também pensa assim. Para ele, “uma eventual condenação em 2ª instância só serviria para tentar gerar inelegibilidade em 2018. O que a tornaria ainda mais iníqua (a sentença de Sergio Moro)”.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 13h37
Além das lideranças de movimentos sociais, partidos políticos também integram a campanha

Os movimentos sociais de Vitória da Conquista aderiram à mobilização nacional – orientada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo – contrária à condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que terá seu recurso da sentença do juiz Sérgio Moro julgado na próxima quarta-feira (24). Lula foi condenado em julho de 2017 a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro no caso do triplex. Os militantes vão acampar na praça Vitor Brito na noite de terça-feira (23) e lá permanecerão até o final do julgamento do recurso de Lula, previsto para ser finalizado às 15 horas do dia 24, segundo informações do Tribunal Regional Federal | TRF4. Além das lideranças de movimentos sociais, partidos políticos também integram a campanha “Em defesa da democracia e do direito de Lula ser candidato”, que inclui ainda sindicatos urbanos e rurais.

Por Fabio Sena | 22/01/2018 - 10h25

O deputado estadual Hildécio Meireles (MDB) teceu críticas ao governo do Estado por conta da entrega das obras de restauração da Fortaleza de Morro de São Paulo. De acordo com o parlamentar, a gestão de Rui Costa (PT) não investiu nada no projeto. “Ou seja, mais uma vez, visando a sua reeleição, o governador Rui Costa e o seu governo, que apenas detém a cessão de uso, concedida pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU), se intitula dono das obras para enganar os baianos e isso não é nem um pouco legítimo”, contestou Meireles. O deputado aponta que todo o investimento partiu do Mecenato, programa de incentivo à cultura do BNDES. Em sua última etapa, o Mecenato contempla a restauração do Portaló, do Corpo da Guarda, do Forte da Ponta e do caminho ao longo da muralha. Meirelles pediu por mais transparência, o que avalia como “fundamental em qualquer gestão responsável e ética”. Em visita ao município de Cairu, nesse sábado (20), Rui afirmou que vai elaborar um plano de uso e gestão para que o monumento, que é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan), seja autossustentável. De acordo com o petista, a restauração custou R$ 14,4 milhões (saiba mais aqui).

Por Fabio Sena | 19/01/2018 - 18h20
Ao lado da primeira-dama, Rosane, Fernando Collor de Mello acena para a multidão ao tomar posse como presidente, em 15 de março de 1990.

O senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL) anunciou nesta sexta-feira, 19, que pretende se candidatar novamente à Presidência da República nas eleições gerais deste ano. “Digo a vocês que esse é um dos momentos mais importantes da minha vida pessoal. Hoje, a minha decisão está tomada: sou, sim, pré-candidato à Presidência da República”, afirmou o senador alagoano, que participou de um evento na cidade de Arapiraca, no interior do Estado, com a prefeita, Célia Rocha (PTB). Apelidado de ‘caçador de marajás’, Collor venceu em 1989 a primeira eleição direta após a redemocratização do País, derrotando vários candidatos, entre eles Leonel Brizola (PDT), Ulysses Guimarães (PMDB) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com quem disputou o segundo turno.

...91011...203040...