A mídia da cidadania
Vitória da Conquista | 16 de Novembro de 2018
Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 10h36
A sífilis é uma doença infecciosa, silenciosa, causada pela bactéria Treponema pallidum e que pode ser transmitida por meio da relação sexual desprotegida

O terceiro sábado do mês de outubro, 21, é o Dia Nacional de Combate à Sífilis. Em Vitória da Conquista, a Prefeitura, por meio do Centro de Atenção e Apoio à Vida Dr. David Capistrano Filho (Caav), promoverá ações de mobilização durante todo o mês para lembrar as estratégias de prevenção e eliminação da doença no município. Entre as atividades que serão desenvolvidas estão aquelas que serão destinadas aos profissionais de saúde e a realização de blitz educativa nas ruas do centro da cidade. Além disso, será disponibilizado teste rápido nos presídios, faculdades e empresas privadas, bem como para os profissionais do sexo, em mais uma edição do projeto Balada Noturna.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 10h15
“Nós não estamos improvisando. Estamos com a Fundação Dom Cabral, com a Escola Politécnica da Ufba"

O prefeito Herzem Gusmão se reuniu com a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Vitória da Conquista (CDL) e parte de sua equipe de secretários na tarde desta terça-feira (3) para conversar sobre a diminuição de parte do estacionamento rotativo no centro comercial, por conta da mudança das vagas de ângulo para fila, o que amplia o espaço para circulação de pedestres. A CDL já havia manifestado publicamente sua posição contrária às alterações, alegando prejuízos financeiros para os comerciantes por causa da redução do número de clientes nas áreas afetadas pela mudança.

No encontro, o assunto foi debatido e traçadas alternativas. O prefeito Herzem Gusmão defendeu a lógica do estacionamento em fila e argumentou que pretende implementar na cidade o conceito de “Cidade para Pessoas”, desenvolvido pelo arquiteto dinamarquês Jan Gehl. As intervenções feitas pelo governo são inspiradas neste modelo, afirmou o prefeito, com iniciativas de mobilidade urbana que priorizem mais o pedestre que os carros. Além disso, o governo quer fazer dos espaços públicos ambientes de convivência da população.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 01h09
"Despeço-me com saudações universitárias anisianas, esperançosas".

Em carta divulgada nesta segunda-feira (2), o reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia, professor Naomar de Almeida Filho, pediu exoneração do cargo e reclama das tentativas de desmonte da universidade. Na carta, Almeida Filho reclama também dos cortes orçamentários promovidos nas universidades federais pelo governo Temer.

Confira a íntegra da carta:

Dirijo-me não apenas a estudantes, servidores técnico-administrativos e docentes, mas incluo na comunidade da UFSB membros da sociedade, representantes de movimentos sociais, familiares de alunos/as, lideranças políticas, apoiadores e parceiros de nossa instituição. Hoje comuniquei ao Consuni minha exoneração do cargo de Reitor pro-tempore desta Universidade. Escrevo esta carta aberta com o objetivo de explicar as circunstâncias deste ato. Antes farei breve súmula dos antecedentes. Assumi a Reitoria da UFSB em 2013. Convidei colaboradores do tempo em que fui Reitor da UFBA para compor a primeira equipe de gestão. Em conjunto, concebemos seu projeto político-institucional, elaboramos a Carta de Fundação e o Plano Orientador, realizamos prospecção do território, discutimos o modelo proposto com a comunidade regional, recrutamos os primeiros grupos de docentes redistribuídos e conduzimos os primeiros concursos de servidores docentes e técnico-administrativos.

Reiterando o estilo de gestão com que conduzi o reitorado na UFBA, concentrei-me em aspectos conceituais, políticos e pedagógicos, delegando a outros dirigentes a dimensão administrativa, particularmente o gerenciamento do cotidiano e a gestão de pessoas. Em quatro anos, apesar do contexto adverso, implantamos um modelo de universidade inovador em muitos aspectos: ampla cobertura territorial mediante a criação de uma rede de colégios universitários, regime letivo quadrimestral multiturno, modelo curricular flexível, em ciclos de formação, fortemente integrado à educação básica, com base em pedagogias ativas mediadas por tecnologias digitais. Além disso, o modelo de integração social que praticamos buscou promover ampla inclusão étnico-social, respeito à diversidade de saberes e engajamento da sociedade na governança institucional, com representação política efetiva nos órgãos consultivos e deliberativos da Universidade.

A partir de 2015, frente ao agravamento da crise política e subsequente redução do financiamento da universidade pública brasileira, sofremos profundo desgaste interno, intensificado pela suspensão de novos concursos federais, fomentando incerteza e angústia na comunidade universitária. Não obstante, honramos nosso compromisso com a população sul-baiana ao acolher anualmente o mesmo número de estudantes desde o início de nossas atividades. Ainda naquele ano, mobilizando mais de três mil participantes de todos os segmentos sociais, conseguimos realizar o evento mais marcante de nossa curta história, o I Fórum Social do Sul da Bahia, que elegeu o Conselho Estratégico Social da UFSB.

No ano seguinte, iniciamos cursos de pós-graduação e mantivemos a oferta de vagas de graduação, dando prioridade aos Colégios Universitários. Assim, consolidamos as licenciaturas interdisciplinares e implantamos os primeiros Complexos Integrados de Educação, principal ajuste ao nosso projeto original. 2 Ao priorizar a missão social da Universidade, promovendo o protagonismo dos conselhos sociais em todos os planos e mantendo abertura de vagas de graduação – possibilitada pela grande dedicação de uma parcela de docentes, gestores e servidores –, definimos com clareza os rumos da UFSB como uma universidade socialmente referenciada. Atos de hostilidade e agressão, inicialmente concentrados num pequeno grupo, começaram a aparecer em nosso cotidiano, replicando a deterioração do ambiente político nacional.

Ações de evidente sabotagem, inclusive de dentro da equipe de gestão, criaram obstáculos à nossa agenda de integração social. Esse movimento conseguiu, por exemplo, cancelar o Congresso Geral da UFSB previsto para o ano passado (inviabilizando o II Fórum Social neste ano), além de boicotar tanto inovações curriculares de maior potencial inclusivo e quanto a articulação com a educação básica. Concluída a eleição dos decanos das unidades universitárias, tomei a iniciativa de recuperar a pauta deliberativa que estava bloqueada, solucionando mais de dois terços das pendências identificadas. Nesse momento, membros da equipe gestora revelaram seu distanciamento da orientação político-institucional do projeto. Alguns desses movimentos revelaram oportunismo, ameaçando desestabilizar a gestão da universidade, comprometendo a própria viabilidade institucional do projeto da UFSB. No contexto de definição das regras de seleção para o segundo ciclo, um membro da administração central, sem prévio conhecimento e avaliação da equipe gestora, propôs conceder a todos os estudantes atualmente matriculados no BI-Saúde acesso ao curso de Medicina, de modo escalonado.

O suposto básico dessa proposta é o cancelamento de entradas no BI-Saúde, por seis anos seguidos, já no próximo processo seletivo. De fato, a proposta atrasa e reduz a oferta de vagas no segundo ciclo para as turmas seguintes à de 2014, prejudicando particularmente as coortes de estudantes que entraram no BI-Saúde entre 2015 e 2017. Em 2018, após a entrada dos 57 estudantes não classificados do ano anterior, restarão apenas 23 vagas para a turma concluinte de 2016. Mantendo-se o patamar de oferta de 80 vagas, observes-e, em vermelho, o déficit anual provocado pelo escalonamento da entrada nos anos seguintes daqueles que não se classificaram no processo seletivo do respectivo ano de conclusão do primeiro ciclo. O déficit cresce proporcionalmente, favorecendo os poucos que entraram primeiro e prejudicando aqueles que se agregariam posteriormente. No caso em pauta, com o aumento da turma de entrada no BI, já em 2019 anular-se-ia a entrada para a turma de 2015.2, com um déficit de quase 100 vagas.

Nessa proposta, os últimos estudantes da turma de 2017.2 somente entrariam no curso de Medicina em 2026, nove anos depois. 3 Pelo exposto, tal proposta infligirá danos severos ao projeto da UFSB e ao modelo pedagógico da universidade e, por extensão, ao movimento pela promoção da saúde, ao SUS, ao projeto político de uma universidade socialmente inclusiva, e à educação superior pública. Além disso, confronta pontos centrais do modelo de ensino-aprendizagem da UFSB. Nesse aspecto, destacam-se valores cruciais capazes de gerar efeitos formativos da maior importância para o campo da Saúde: responsabilidade política, compromisso social, autonomia, honestidade e sobretudo ética. Enfim, a proposta em questão é um flagrante desrespeito à lógica do planejamento anteriormente pactuado na universidade, podendo resultar num grande engodo, criando problemas de difícil solução. Ainda acreditando na natureza humana, espero que tenha sido apenas um ato impensado, com a boa intenção de efetivamente resolver dilemas e atender demandas de nosso bravo e engajado corpo discente.

Porém o lançamento dessa proposta num lance de oportunidade revela uma séria questão de responsabilidade, talvez explicável pelo contexto atual da nossa universidade, debatendo-se numa crise interna, alimentada por intrigas e manobras. Mobilizam-se insatisfações, ansiedades, ressentimentos, infelicidades, deslocamentos, projeções, fomentando um ambiente de ódio, hostilidade, incompreensão e rancor. Além disso, a sequência de movimentos que geraram este fato precisa ser entendida no plano micro-político. Na semana passada, abriu-se um processo eleitoral para o primeiro Reitorado. Esse processo tem mera aparência de legalidade, mas é claramente ilegítimo. Restrito aos segmentos que convencionalmente compõem a comunidade universitária, docentes, servidores e estudantes, ao excluir a sociedade do território como quarto ator nos processos de escolha de dirigentes, o processo confronta princípios e valores da Carta de Fundação da UFSB.

E de legalidade tem somente uma casca, talvez uma camuflagem, porque não segue regras e normas da democracia de alta intensidade que a duras penas temos tentado consolidar na instituição; não segue o Estatuto da Universidade nem as normas do Conselho Estratégico Social aprovadas pelo Conselho Universitário. Que tipo de política estariam praticando os que promovem esse golpe? Certamente a de mais baixo nível, incompatível com a dignidade da instituição milenar da Universidade. Qual a diferença disso para a trágica, lamentável e vergonhosa crise política do país, depois do triste espetáculo de um impedimento presidencial injusto, embora protegido pelo manto da legalidade? Processo dito democrático, porque seus atores foram eleitos por voto popular? Desde quando a democracia prescinde da ética? Fins escusos justificam os métodos da traição? Meios podres para finalidades ainda piores? Me entristece demais constatar o grave impacto negativo da cultura política instalada no país: negociação de cargos, compra de votos, tráfico de influência, corrupção que não se faz somente com malas de dinheiro; cargos, favores e privilégios também servem como eficiente moeda de troca. Será que nossa instituição educadora se encontra distante dessa realidade? Será que atos dessa natureza, favorecimentos e acordos escusos, não ocorrem nos campi universitários?

Que efeitos pedagógicos lances de oportunismo, ambição e desonestidade terão sobre nosso alunado e sobre a sociedade, nesta instituição? Desmontar um projeto contra-hegemônico de universidade crítica, popular, transformadora? Desconstruir uma proposta porque incomoda profundamente os que querem o mínimo legal, aqueles que pretendem ficar na zona de conforto para fazer um pouco mais do mesmo? 4 Ao apresentar o projeto da UFSB, nos mais diversos foros e audiências nacionais e internacionais, com frequência me perguntavam sobre a viabilidade política de um projeto como o nosso, já que propostas semelhantes foram duramente reprimidas em duas oportunidades na história brasileira. Também me questionavam como seria possível construir o novo com pessoas formadas nas velhas práticas, com matrizes mentais antigas. Creio que as respostas que dei foram equivocadas. Frente à primeira questão, dizia: não é mais o mesmo momento, os projetos anisianos enfrentaram ditaduras; hoje o Brasil é diferente, somos uma democracia que se consolida a cada dia.

Com relação à segunda, disse e repeti: felizmente em nossa equipe temos pessoas honestas e leais ao projeto. Contamos com um grupo de gestão coeso e fiel, não temos o que temer. Em apenas três anos, o cenário mudou totalmente, pois no contexto nacional vivemos um claro retrocesso político, à beira do fascismo social, e no contexto local sofremos um duro golpe, disfarçado de legalismo. A dirigentes que buscam um projeto individual, articulado a uma oposição raivosa, pessoas que manifestam ódio e fazem assédio moral enchendo minha caixa de mensagens, sigam em frente. Façam seus movimentos sinuosos, sub-reptícios e escusos, movimentos políticos de cartas marcadas e acordos já feitos, com sinais de conspiração traiçoeira tão evidentes que nem é preciso muita experiência de vida para detectá-los, mesmo nesta cena. Já que está assim, vão em frente e vejam até onde conseguem chegar, o que pretendem destruir e a quem podem enganar. Se é para remover do cargo este servidor público que se incumbe de uma função temporária de gestão, não precisam gastar tanta energia, realizar tanta conspiração, tantos jogos de sombras.

É simples: a exoneração do Reitor resolve… Gostaria de fazer uma citação ao Sr. Joelson Ferreira, agricultor, liderança dos assentados rurais, representante do Conselho Estratégico Social no Consuni da UFSB. Pena que ausente neste momento, neste Conselho. Joelson tem dito que falta grandeza nessa luta intestina, nessa luta contra a instituição, para lamentar que a baixa política se mostra na pequenez de conflitos que enfraquecem e dividem aquelas e aqueles que deveriam se engajar nas lutas sociais maiores. E novamente Joelson nos adverte que esta universidade não nos pertence, não é propriedade de docentes, servidores e mesmo de estudantes. É um patrimônio do sofrido povo do território que nos abriga e inspira, principalmente dos que nela não se encontram. Por esse motivo e por tantas outras razões históricas e políticas, postulo e defendo a intensa participação social na governança institucional das instituições públicas, sobretudo em universidades que, como a nossa, se definem pela democratização ampla de seus processos e pela grandeza de sua missão. Estou concluindo esta comunicação.

Vejam que é uma fala ponderada, refletida, pensada, mas com emoção. Pretendi mostrar que muitos se dedicam a diminuir o que fizemos, sem consciência da grandeza deste projeto, do que nossa Universidade pode representar para a população desfavorecida que precisa de educação para sua libertação política. Somos todos responsáveis por nossas ações, porque a história está aí para nos julgar; às vezes demora, mas não costuma falhar. Dois companheiros que prezo muito, Álamo Pimentel e Fabiana Lima, costumam se emocionar ao falar da UFSB, já os ouvi várias vezes dizer que estamos fazendo história. Gostaria de refletir que, além de fazer história, nossa prática política nos obriga a também escrever a história, com atos e fatos e não como ficção. A sociedade sabe bem quem são seus interlocutores, a quem perguntar sobre o que está acontecendo na UFSB. Alguns de nós são interlocutores de maior credibilidade e 5 por isso são mais solicitados a produzir narrativas que vão ressoar, se tornarão memória e serão registradas devidamente.

Estou pronto para contar e registrar essa história. Nessa carreira de professor, tão recompensadora e apaixonante, que se constrói na permanente recriação dessa instituição que se chama universidade, narrar é uma tarefa para os retirados, os jubilados, aqueles que no Brasil se chama de aposentados, que são incumbidos de registrar as memórias que ressoam e se tornam história. Nesta reunião do Consuni, prestei contas das articulações institucionais que, nos últimos dias, redundaram na garantia de liberação de todo o orçamento de 2017 e em novas vagas para concursos de servidores e docentes. Apresentei também um relatório do processo de recuperação de pautas, acima mencionado. O relatório se completa com minha carta de exoneração, já encaminhada ao MEC. Nessa carta, indico o fechamento de um ciclo de quatro anos de contribuição e expresso meu sentimento de missão cumprida.

Não explicito os problemas internos da instituição, mas deixo claro o caráter unilateral dessa decisão, pois não se trata de cargo colocado à disposição da autoridade que me nomeou. Essa carta foi objeto de discussão com a equipe de gestão mais próxima, quando firmamos um pacto pela governabilidade a fim de que essa exoneração não traga prejuízos à instituição. Gostaria de finalizar declarando que tomo essa decisão sem ressentimentos, sem rancor, com o desejo firme de que nossa jovem instituição cresça e consiga ser tudo o que para ela sonhamos. Continuo UFSB, nesse tempo de carreira que tenho, para consolidar alguns projetos em andamento, colaborando com o que puder para engrandecer nossa instituição. Agradeço a todas e todos os que têm ajudado a construir o que fizemos de melhor. Despeço-me com saudações universitárias anisianas, esperançosas.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 00h51
A ação foi movida pelo Ministério Público Federal, para quem as palavras do parlamentar não tiveram apenas o intuito de expressar opinião política, mas de ofender os povos quilombolas e os negros

A imunidade parlamentar não autoriza ofensas contra grupos ou pessoas. Com base nesse entendimento, a juíza Frana Elizabeth Mendes, da 26ª Vara Federal do Rio de Janeiro, condenou o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a pagar R$ 50 mil de indenização por danos morais coletivos aos quilombolas e à comunidade negra em geral. A condenação decorre de uma declaração que o parlamentar deu no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro, em 3 de abril. Na ocasião, o deputado afirmou que a demarcação de terras indígenas e quilombolas atrapalhava a economia e criticou os moradores desses locais. “Eu fui num quilombola [sic] em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada, eu acho que nem pra procriador [sic] servem mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano gastados [sic] com eles, recebem cesta básica e mais, material, implementos agrícolas”, disse Bolsonaro na ocasião.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 00h23
A nota foi motivada pelo suicídio do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier de Olivo

“Assistimos no Brasil à banalização das prisões provisórias e das conduções coercitivas abusivas, realizadas quase sempre de forma espetacular e midiática, sem nenhuma preocupação com a preservação da imagem daqueles que sequer culpados podem ser considerados.” Assim o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e o Colégio de Presidentes de Seccionais definem a situação no país. Nesta segunda-feira (2), as entidades da advocacia publicaram uma nota criticando a espetacularização do processo penal.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 00h04
Tina Rocha, secretária de Cultura, fala da importância da exposição

A Casa Memorial Governador Régis Pacheco sediou, na noite desta segunda-feira (2), a abertura do Núcleo Contemporâneo da 3ª Bienal do Sertão de Artes Visuais. A exposição reúne obras de 20 artistas das mais diversas regiões do país. Com o tema “Unindo os Sertões”, a exposição é mais um espaço de reflexão e valorização do sertão – espaço geográfico proeminente, forte e com inúmeras possibilidades artísticas. Pinturas, desenhos, instalações, fotografias e novas mídias selecionadas pela criatividade, cooperação, experiência, inovação e persistência estão presentes na mostra.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 23h48
Dudé é o articulador da audiência

A Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista realiza na próxima quinta-feira (5), às 15 horas, uma audiência público sobre o serviço de táxi na cidade. Articulada pelo mandato do vereador Luís Carlos Dudé (PTB), a reunião vai tratar de diversas temas e demandas inerentes à categoria. Atualmente 366 permissionários operam o serviço na cidade. São 550 motoristas trabalhando no setor. Ao todo a cidade conta com 68 pontos de táxi ativos e quatro empresas que oferecem o serviço de rádio táxi. “O taxista é o cartão postal da cidade. É o melhor interlocutor para quem chega e quer conhecer a cidade. O taxista é o amigo e a cidade precisa debater a melhoria desse serviço”, afirmou Dudé.

Por Fabio Sena | 04/10/2017 - 02h13
Rodrigo afirma que há dois pesos e duas medidas em pareceres

O vereador Rodrigo Moreira (PP) manifestou em sessão recente da Câmara sua insatisfação quanto a uma provável não-isenção da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final – presidida pelo vereador David Salomão (PTC) – ao emitir pareceres sobre matérias de iniciativa parlamentar que tramitam na Casa. Integram a comissão ainda Gilmar Ferraz, do PMDB, e Valdemir Dias, do PT.

Rodrigo Moreira pediu vistas de um projeto de lei de autoria de David Salomão. O texto prevê que pessoas com deficiência visual devem receber o boleto do IPTU em braile. Rodrigo manifestou-se favorável ao projeto, mas condena o fato de iniciativas semelhantes terem pareceres desfavoráveis.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 21h22
Documento aponta que na Amazônia Legal as terras devolutas somam o montante de 114.897.607 hectares, o equivalente a 13,5% das terras brasileiras.

O aumento da violência no campo no Brasil expõe diretamente cerca de 93,8 mil famílias, o que deixou o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) perplexo nesta terça-feira (3). Atualmente, a região Norte do país é o foco dos debates sobre a exploração de terras, com a Amazônia tendo 977 áreas com conflitos. “Esse aumento é devido ao fim das políticas agrárias e das decisões desse governo golpista de Michel Temer, que teve o apoio dos ruralistas para golpear a Constituição. Dados divulgados essa semana apontam que nesse ano pelo menos 47 pessoas morreram somente nessas regiões, conforme aponta o Atlas de Conflitos da Amazônia, apresentado pela CPT [Comissão Pastoral da Terra]”, salienta Assunção com informações de nove Estados da Amazônia Legal. “Em 2016 foram no total 48 mortes, e neste ano neste período já temos 47. Tudo isso para saquear os bens naturais e manter os latifúndios nessas localidades”.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 21h14
Vereadora diz que vai reiterar pedido quantas vezes forem necessárias

A vereadora Nildma Ribeiro (PCdoB) quer que o governo municipal dê mais atenção às comunidades da zona rural, entre elas a de São Domingos. Ela reivindicou mais uma vez atendimento de saúde e melhorais no saneamento básico e estradas do povoado. Nildma afirma que já comunicou ao governo sobre essas necessidades e reforçará o pedido quantas vezes for necessário: “São Domingos pede por socorro, falta médico, as estradas estão caóticas. A população da zona rural merece respeito”, disse.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 21h00
O termo prevê a realização de ações conjuntas para a promoção da defesa da cidadania

O Ministério Público do Estado da Bahia e a Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres (SPM) firmaram um Termo de Cooperação Técnica para estimular a criação e fortalecimento de Conselhos Municipais de Defesa dos Direitos da Mulher em todo o Estado. O termo prevê a realização de ações conjuntas para a promoção da defesa da cidadania, como o combate à discriminação de gênero, de medidas de prevenção e enfrentamento à violência e a ampliação de iniciativas que contribuam para o empoderamento das mulheres.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 20h52
“É um projeto de revitalização que vai acontecer por toda a cidade”, afirma Ivan Cordeiro.

Desde o último sábado, 30, servidores da Secretaria Municipal de Serviços Públicos instalam novas torres de iluminação na avenida Juracy Magalhães. O trabalho acontece na região do chamado “gancho”, num trecho de aproximadamente 350 metros do canteiro central da via. O projeto prevê a instalação de 8 torres, cada uma portando duas luminárias com 400 watts de potência. No momento, a equipe trabalha na instalação da fiação subterrânea. Posteriormente, serão colocadas as lâmpadas. Trata-se da primeira etapa do processo de revitalização da iluminação na avenida Juracy Magalhães. Algo semelhante ao que já foi feito em outros pontos da cidade, como as avenidas Brumado e Siqueira Campos, a rua da Granja e o Bosque da Paquera.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 20h15
Em próxima reunião será definida uma comissão permanente de negociação entre sindicato e governo

Uma semana depois de se reunir com a direção do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (Simmp), o Governo Municipal recebeu representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserv). O encontro, no Salão Nobre do Gabinete Civil, foi a reabertura da mesa de negociação permanente com a categoria. A pauta incluiu pontos como a criação um programa habitacional e um plano de saúde para servidores, além dos recursos arrecadados por meio do Refis, da criação da guarda municipal e do acesso dos servidores a benefícios nos serviços de saúde. Ficou definido que, numa nova reunião, agendada para o dia 19, será analisada a formação de uma comissão, com integrantes indicados pelo Governo Municipal e pelo sindicato, para analisar o processo de criação da guarda municipal.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 19h59
A mensagem da parlamentar é para salvar vidas

por Fabíola Mansur|Deputada Estadual

Amiga, parceira … Se for amiga pra valer não deixa esquecer como é importante fazer o autoexame para prevenir o câncer de mama. Outubro é mês de conscientização sobre a prevenção e o controle do câncer de mama. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em nosso país há quase 60 mil novos casos e o número anual de mortes gira em torno de 15 mil. Porém, quanto mais cedo for o diagnóstico, as chances de cura são de 95%. O autoexame regular é importante para perceber possíveis sintomas do câncer, mas isso não é tudo. Para prevenir também temos de manter uma alimentação saudável, praticar atividades físicas e controlar o peso, não fumar, evitar bebidas alcoólicas e o consumo de carne vermelha. A amamentação é outra dica de prevenção, além de fazer consultas regulares ao médico e mamografia anualmente a partir dos 40 anos. Vamos nos unir em torno desta corrente do bem. Quanto mais #mulheres receberem esta mensagem, mais vidas poderemos ajudar a salvar.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 19h53
“Com esta grande evolução tecnológica na medicina, por exemplo, daqui a uns 30, 40, 50 anos é muito provável que o homem viva, o ser humano, viva até os 140, 150 anos"

Durante o Futurecom, evento de telecomunicações realizado em São Paulo durante esta semana, o presidente Michel Temer voltou a defender a necessidade de reforma da Previdência, justificando que o pagamento de pensões e aposentadorias gera um “déficit extraordinário”, com chances de se tornar cada vez melhor. Para Temer, é provável que o brasileiro viva até os 140 anos, causando um rombo nas contas do governo. “Nós temos que fazer a reforma da Previdência, porque é evidente que os dados da Previdência, que geram um déficit extraordinário, estão pautados por esse período em que o homem vivia até os 60 anos, 65 anos. Hoje ele vive 80 ou mais anos. Daqui a pouco viverá 140 anos. Então é preciso fazer reformulações permanentes no sistema previdenciário”, justificou o presidente.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 14h59
Hoje essa lei já proíbe a destinação de resíduos sólidos ou rejeitos em praias, no mar ou em quaisquer corpos hídricos

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou, em caráter conclusivo, proposta que reforça a proibição de descarte de lixo em locais públicos. A proposta segue para o Senado, caso não haja recurso para análise pelo Plenário da Câmara. O texto original do projeto  previa uma lei para proibir as pessoas de jogarem lixo em praias, rios, rodovias, ruas e praças, e autorizava as prefeituras a estabelecerem multa para quem descumprisse a determinação. O valor arrecadado deveria ser aplicado em limpeza urbana. Porém, na Comissão de Meio Ambiente, os deputados optaram por alterar a lei que criou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (12.305/10), para reforçar a ideia de que é proibido o descarte de resíduos em ruas, praças, parques, áreas protegidas e demais logradouros públicos.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 15h00
Um dos objetivos do evento é promover a ideia de implantação de um orquidário municipal, previsto para funcionar dentro do Horto Florestal de Vitória da Conquista

Nos dias 6, 7 e 8 de outubro, Vitória da Conquista sedia a Exposição e Feira Orquídeas (Expo-Orquídeas), na Praça do Gil. O evento é uma parceria entre a associação Orquidófilos Conquistenses Associados (Acor) e a Prefeitura, com patrocínio da empresa Revita Engenharia Sustentável. Durante os três dias da Expo-Orquídeas, estarão expostas e à venda aproximadamente 6 mil plantas, por preços que podem variar entre R$ 15 e R$ 60. A programação do evento inclui ainda homenagens póstumas a pessoas que foram colaboradoras e participantes da Acor, ao longo das duas décadas de atuação da entidade: o padre Bruno Baldacci, que atuou na paróquia Nossa Senhora das Candeias, a empresária Maria Emília Caminha de Castro, que foi diretora da Rádio Clube de Vitória da Conquista, e Sarah Velley Matos, uma das fundadoras da associação que reúne os orquidófilos da cidade.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 15h02
Gilmar Ferraz, vereador

Nesta terça-feira (3), às 15 h, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) realiza uma audiência pública para debater a prorrogação e alongamento das dívidas de produtores e agricultores Rurais. A audiência foi articulada pelo vereador Gilmar Ferraz (PMDB), segundo quem a ideia é colaborar para construir um ambiente igualitário e minimizar os impactos da seca. A audiência se propõe a informar e esclarecer dúvidas dos pequenos produtores sobre a possibilidade de renegociação de dívidas do crédito rural.

Por Fabio Sena | 03/10/2017 - 10h22
Hildécio fala ao povo de Inhobim, acompanhado do vereador Osmário Lacerda

O deputado estadual Hildécio Meireles (PMDB), vem ganhando força política em Vitória da Conquista com a adesão de lideranças locais à sua pré-campanha de reeleição ao parlamento baiano. Neste final de semana, ele participou dos festejos religiosos organizados pela Igreja Católica no distrito de Inhobim, a convite do vereador Osmário Lacerda, que já declarou publicamente sua disposição em marchar ao lado do parlamentar nas eleições de 2018.

Por Fabio Sena | 29/09/2017 - 11h21
Ivan Cordeiro e Herzem Gusmão

O administrador Ivan Cordeiro assume na tarde desta sexta-feira (29) a Secretaria de Serviços Públicos, em substituição a Esmeraldino Correia, que agora comanda a Secretaria de Mobilidade Urbana. O prefeito Herzem Gusmão fortalece a presença do PSDB no primeiro escalão de seu governo, que já tem o tucano Paulo Cézar à frente da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Por Diário Conquistense | 22/09/2017 - 15h11

Amanhã faz um ano do desabamento parcial do Centro de Convenções da Bahia (CCB), ocorrido no dia 23 de setembro de 2016, mas o laudo técnico, que analisa a causa do acidente e a situação da estrutura do equipamento, ainda não foi divulgado. Sequer sabe-se o resultado do inquérito policial aberto na 9ª Delegacia (Boca do Rio).

O laudo feito pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) no mesmo mês do acidente só ficou pronto oito meses depois, em maio deste ano. O prazo seria de 10 dias, prorrogáveis por mais 30 repetidas vezes. Segundo o órgão, a demora na conclusão se deu porque havia risco para a equipe de peritos.

Pelo caminho legal, o laudo é encaminhado para a delegacia, que tem o prazo de 30 dias, podendo ser prorrogado outras vezes pelo mesmo período, para concluir o inquérito. E é aí que a resposta para o que provocou o acidente vira um mistério: não há informações sobre o que o laudo técnico indicou para a delegada responsável, muito menos se os responsáveis  foram ouvidos e se houve uma conclusão para o caso.

Por Diário Conquistense | 22/09/2017 - 14h58

LONDRES – Mesmo após a mudança de liderança, a Uber sofre mais um revés, dessa vez, em Londres. Autoridades britânicas informaram na manhã desta sexta-feira que a Uber perdeu a licença para operar na capital. A decisão foi do regulador de transporte da capital inglesa — o maior mercado da empresa no Reino Unido, com cerca de 40 mil motoristas registrados, segundo dados do aplicativo.

O regulador considerou que a empresa não é adequada para funcionar como operadora de aluguel de transporte privado. O último dia da atual licença do Uber é 30 de setembro. A decisão, porém, não afetou o serviço de delivery de comida UberEATS, um porta-voz do Uber afirmou nesta sexta-feira.

Agora, o Uber, que estava aguardando a resposta sobre uma licença de cinco anos da Transport for London (TfL), afirmou que vai apelar a decisão. O prazo para tal é de 21 dias.

Por Diário Conquistense | 22/09/2017 - 10h36

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), nomeou nesta quinta-feira (21) a ex-prefeita de Barreiras Jusmari Oliveira (PSD) secretária estadual de Desenvolvimento Urbano.

Prefeita da maior cidade do oeste baiano de 2009 a 2012, Jusmari foi condenada em maio deste ano a uma pena de três anos por fraude em licitação para compra de medicamentos, materiais hospitalares e odontológicos.

A denúncia do Ministério Público Estadual da Bahia apontou “vícios insanáveis” na licitação de R$ 5,9 milhões. Na sentença, o juiz afirma que há “provas sólidas” de que o certame “não passou de uma fraude”.

A condenação foi revertida na prestação de serviços comunitários. A ex-prefeita nega irregularidades e recorre da decisão no Tribunal de Justiça da Bahia.

Por Diário Conquistense | 22/09/2017 - 10h29

A Secretaria de Mobilidade Urbana da Prefeitura de Vitória da Conquista lacrou 7 ônibus da Viação Vitória que estavam circulando sem as condições técnicas de segurança.  A administração municipal já tinha alertado a empresa que a fiscalização não iria permitir que dispositivos necessários para a circulação dos veículos da frota não estivessem dentro dos padrões exigidos.

A Recuperação Judicial  acatada pelo juiz de Direito  Leonardo Maciel Andrade,  não impede que a Prefeitura fiscalize os veículos da empresa Os 7 ônibus apreendidos permanecem no pátio da própria empresa,  e só serão liberados após verificação que os problemas apresentados na  vistoria foram sanados.

Por Diário Conquistense | 21/09/2017 - 12h21
A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagram nesta quinta-feira (21) uma operação que investiga desvios de recursos públicos feito por uma ex-prefeita e servidores municipais da cidade de Apuarema, no sudoeste baiano.

De acordo com a PF, os investigados teriam desviado recursos públicos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Segundo as investigações, servidores públicos municipais eram contratados formalmente com salários superiores aos cargos que desempenhavam. Os valores, que deveriam ser depositados diretamente em contas bancárias dos próprios servidores, eram depositados nas contas de outras pessoas que eram aliciadas para sacar os valores e repassá-los à própria ex-Prefeita e para outros integrantes do esquema criminoso.

...1020...293031...405060...